Conheça os benefícios da educação internacional

Conheça os benefícios da educação internacional

Saiba como a educação internacional pode ser importante para a vida do seu filho dentro e fora do ambiente escolar

No mundo globalizado em que vivemos, aprender novos idiomas e conhecer outras culturas é fundamental para acompanhar as transformações da sociedade como um todo. A educação internacional consegue unir as duas necessidades na formação dos alunos.

Se desde o início da vida escolar, o aluno tem contato com a diversidade cultural de outros países, mais enriquecedora será sua troca de experiências e a comunicação com os colegas.

Hoje, iremos mostrar os principais benefícios de uma educação internacional na preparação da jornada acadêmica e no projeto de vida dos estudantes. Vem com a gente!

A imersão da educação internacional para a formação integral dos alunos

Nas escolas que trabalham com a proposta de educação internacional, o aluno passa por um processo de aprendizagem que desenvolve a compreensão auditiva e a capacidade de escrita e oralidade já no segundo idioma.

Ou seja, a maior parte das aulas é ministrada no inglês, por exemplo. Assim, desde crianças, eles aprendem a se comunicar com fluência em qualquer situação. Sem contar na absorção de conteúdos específicos do país nativo da língua.

Ao adotar as disciplinas e ferramentas de ensino para as atividades, as instituições realizam a união do currículo brasileiro com o currículo americano de forma a adaptar os critérios de avaliação internacional.

Essa mudança deve ser feita de acordo com as orientações do Ministério da Educação para fechar o calendário escolar de modo totalmente correto e organizado.

Isso quer dizer que, os materiais didáticos e as avaliações são aplicados no segundo idioma, seguindo o formato adotado nas escolas norte-americanas, europeias e inglesas.

É neste ambiente totalmente imersivo que as crianças e adolescentes são preparados para as mais diversas relações inseridas no contexto global. Seja no âmbito pessoal e profissional.

Os conteúdos abordados são relacionados na realidade mundial, ao invés de focar apenas na história brasileira. Os conceitos e assuntos apresentados na educação internacional objetivam levar o conhecimento de diferentes áreas, como o empreendedorismo e robótica.

As diferenças entre Escola Internacional X Escola Tradicional

Nas escolas com proposta de educação internacional, os alunos são estimulados a buscar soluções para os problemas e vivenciar na prática os conceitos estudados em sala de aula.

Diferentemente dos estudantes de instituições tradicionais, os alunos que absorvem a educação internacional tornam-se mais ativos em seu processo de aprendizagem. Esta grande diferença tem uma explicação.

No modelo dito como ‘tradicional’, as crianças e os jovens são ensinados a memorizar os conteúdos de maneira oposta a absorvê-los. A tendência deste tipo de proposta é ocupar um papel mais passivo ao seguir e desenvolver habilidades isoladas.

A expansão das perspectivas é marcante na educação internacional, que por sua vez, valorizam o processo de aprendizado mais do que o resultado propriamente dito.

Os alunos são instigados a trabalhar de forma colaborativa, de maneira empática com o seu próprio potencial e com o de seus colegas. Eles aprendem que o convívio social pode ser muito mais do que fazer amigos, e sim, ser consciente dos impactos de suas ações com o que acontece ao seu redor.

O método de ensino na educação internacional ultrapassa a ideia de apenas inserir um novo idioma na vida dos alunos. Nele, é apresentada a importância da experimentação e da compreensão da interculturalidade para que os estudantes se tornem cidadãos respeitosos e humanos.

Os benefícios de uma Educação Internacional para o seu filho!

Enriquecimento cultural

Um novo idioma carrega marcas históricas e costumes diferentes que precisam ser passados em sala de aula.

Ao entrar em contato com outra cultura, o aluno mergulha em uma riqueza muito grande de valores, experiências e crenças que devem ser respeitadas. Além é claro, de contribuir para o seu desenvolvimento social e emocional.

Além da capacidade de falar, entender e escrever outro idioma…

As metodologias da grade curricular internacional são totalmente inovadoras e colaborativas, o oposto do que estamos acostumados a presenciar no modo tradicional.

O ensino é pautado na capacidade de manter relações interpessoais, no respeito à diversidade e em meios de enfrentar desafios em um cenário geral, para se cumprir o papel de cidadão de voz ativa na sociedade.

O poder do conhecimento e questionamento

Naturalmente, a educação internacional permite que os alunos questionem mais, tomem conhecimento para si e exerçam o protagonismo.

Tudo isso com uma abordagem reflexiva e equilibrada para criar conexões com o que é aprendido em sala de aula e o que é realmente vivenciado no cenário ao seu redor.

A união do currículo brasileiro com o currículo americano

A junção das duas grades pode ocorrer facilmente a partir de um projeto pedagógico bem estruturado. A língua portuguesa é obrigatória na Educação Internacional, logo, seu filho poderá aprender inglês com a mesma bagagem do nosso idioma nativo, através de atividades transdisciplinares.

Facilidade em obter certificação de proficiência

Uma escola de educação internacional pode oferecer um exame de proficiência para os alunos que desejam iniciar uma vida acadêmica fora do país. A certificação é essencial para a comprovação linguística em processos seletivos das universidades americanas.

Sem contar que obter este tipo de exame é um diferencial importante para o currículo profissional em um mundo globalizado.

Por isso, a educação internacional trabalha com uma preparação tranquila e segura para que os alunos possam realizar suas provas com o conhecimento necessário.

Preparação adequada para o aluno explorar o mundo

Com a educação internacional, o aluno terá mais aptidão para estudar em diferentes países, visto que ele terá mais facilidade para aprender um idioma e entender as exigências das novas culturas.

Sem falar na oportunidade de construir uma carreira de sucesso no futuro com uma base sólida e um mundo inteiro para ser descoberto pelo saber.

Projeto educacional pensado na excelência acadêmica!

A Pen Life estabelece a formação escolar que integra o Currículo Brasileiro e o Currículo Americano para todos os alunos.

De modo a possibilitar que os cursos regulares de Primary e Secundary School Britânica, os módulos da High School americana e os preparatórios para Certificação Internacional de Inglês e de Espanhol, não interfiram no tempo pedagógico destinado ao currículo brasileiro.

Como parte da educação internacional, a Pen Life oferece intercâmbios em universidades americanas, canadenses e inglesas nos períodos de férias.

Além disso, ao final da educação básica, os alunos interessados em prosseguir seus estudos em universidades estrangeiras contam com todo apoio para o processo de admissão e prospecção de bolsas de estudo.

Desta maneira, garantimos a excelência acadêmica proposta pelo Projeto Educacional Pen Life.

No vídeo a seguir, o Dr. Ricardo Gaspar afirma como a Educação Internacional pode ser importante para a vida do seu filho. Confira!



Os 6 direitos de aprendizagem na Educação Infantil

Os 6 direitos de aprendizagem na Educação Infantil

Entenda como a escola pode garantir os 6 direitos de aprendizagem das crianças de forma leve e contínua

Um pouco diferente dos outros níveis de ensino, na educação infantil, são explorados os seis direitos de aprendizagem e os campos de experiência definidos na versão atual da BNCC (Base Nacional Curricular Comum).

As crianças de 0 a 5 anos possuem esses aspectos fundamentais como principal referência no desenvolvimento acadêmico e individual. Dito isso, elaboramos para você, um conteúdo riquíssimo sobre os seis direitos de aprendizagem.

Acompanhe-nos!

Por que os direitos de aprendizagem são obrigatórios na Educação Infantil?

De acordo com a DCNEI (Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Infantil), existem eixos estruturantes das práticas pedagógicas para seguir na educação básica para crianças de 4 a 5 anos.

O documento menciona “interações e brincadeiras, experiências por meio das quais crianças podem construir e apropriar-se de conhecimentos por meio de suas ações e interações com seus pares e com os adultos, o que possibilita aprendizagens, desenvolvimento e socialização”.

Com isso, a BNCC trouxe uma abordagem diferenciada para os alunos da Educação Infantil, inspirada nos eixos estruturantes descritos acima.

O documento menciona que a aprendizagem deve ocorrer em “situações nas quais possam desempenhar um papel ativo em ambientes que as convidem a vivenciar desafios e a sentirem-se provocadas a resolvê-los, nas quais possam construir significados sobre si, os outros e o mundo social e natural”.

Os seis direitos de aprendizagem

À medida que as crianças crescem, a organização dos processos educacionais se adapta às situações de aprendizagem. Confira abaixo os direitos que as crianças têm de aprender de forma positiva e saudável:

1º direito: Conviver

Trata-se de promover a convivência das crianças em grupos, sejam eles grandes ou pequenos, com pessoas de outras idades a partir do uso de linguagens variadas.

Ao garantir um amplo conhecimento de si mesmo e do outro, o respeito em relação à cultura e às diferenças entre as pessoas, os alunos aprendem a conviver com as diferenças pessoais e culturais.

A escola, enquanto instituição de ensino, deve estimular o olhar para o próximo. A empatia desde cedo para que a criança cresça se torne um cidadão mais consciente com as pessoas e o mundo a sua volta.

2º direito: Brincar

A BNCC reforça o direito do brincar cotidianamente em diversas formas, espaços, tempos e parceiros de brincadeira, sejam crianças ou adultos. Com esse estímulo, amplia-se e diversifica-se as possibilidades de novas ideias.

Ou seja, o acesso a produções culturais fica mais estreito. A criança consegue trabalhar sua imaginação, criatividade, emoções e autoconhecimento. Além de ter o privilégio de aperfeiçoar experiências sensoriais, corporais, cognitivas, sociais e expressivas.

Para aplicar as brincadeiras na rotina da criança é necessário diversificá-las para explorar ao máximo suas potencialidades e estimular a autonomia dos pequenos para escolher as suas atividades favoritas e brincar livremente.

3º direito: Participar

É importante que as crianças participem de forma ativa no planejamento da gestão da escola e das atividades cotidianas. Mas você deve estar se perguntando como isso deve acontecer.

Bem, elas precisam ter a oportunidade de escolher as brincadeiras, os materiais e os ambientes de aprendizagem que auxiliam no desenvolvimento de diferentes linguagens. Envolver as crianças em todas essas etapas, faz com que comecem a tomar decisões e se posicionem diante suas preferências.

Isso contribui muito para a sua formação de cidadania e valores.

4º direito: Explorar

Esse direito permite que as crianças possam explorar, dentro e fora da escola, os movimentos, sons, gestos, texturas, palavras, cores, emoções, transformações, formas, histórias, elementos da natureza, relacionamentos, entre outros aspectos.

Promover o contato com a arte, a ciência, a tecnologia e a cultura, contribui ainda mais para a construção de conhecimento e diversidade. Tudo se torna mais natural e possível aos olhos das crianças.

5º direito: Expressar

Através de diferentes linguagens, a criança deve se expressar. Ela precisa entender sua importância como sujeito ao expressar suas necessidades, emoções, dúvidas, sentimentos, descobertas, questionamentos, opiniões, entre outros.

Como incentivar esse mecanismo? Estimular rodas de conversas e momentos de fala em conselhos e debates para que os pequenos aprendam a argumentar sobre decisões que afetam o coletivo também.

Pensar no próximo, questionar. Esses são direitos de qualquer pessoa, e por que não poderia ser de uma criança?

6º direito: Conhecer-se

Quando a criança começa a conhecer-se, ela constrói sua identidade pessoal, social e cultural, formando uma imagem positiva de si e de seus grupos de pertencimento, nas interações, brincadeiras e linguagens vivenciadas no ambiente escolar e em seu contexto familiar.

Garantindo esse direito, a criança se torna um ser questionar, observador, capaz de levantar hipóteses, julgar e pensar de forma mais específica. O direito de conhecer-se deve ser aplicado desde cedo, ainda nos bebês.

Exemplos disso, são em situações que eles podem ficar frente ao espelho e se observar. Ao ter esses momentos, a criança desperta a consciência sobre seu corpo e se reconhece como pessoa, e não objeto.

Como é essencial seguir os direitos de aprendizagem na Educação Infantil. Eles transformam nossas crianças em seres humanos mais conscientes e independentes, capazes de escolher o que é melhor para si, tendo empatia com o próximo.

Veja também como o uso de tecnologia precisa ser feito por crianças, aqui.

Qualidade de vida infantil no ambiente escolar

Saiba como a escola pode contribuir para a qualidade de vida infantil das novas gerações 

Quando falamos do papel da escola para o desenvolvimento de um indivíduo, também nos referimos à qualidade de vida infantil. Além de oferecer formação integral às novas gerações, o processo de aprendizagem escolar deve promover a saúde e o bem-estar das crianças. 

Precisamos entender que esse tipo de formação ultrapassa a grade curricular exigida nas disciplinas. Mas para chegar até este benefício, é necessário saber a real importância de garantir a qualidade de vida infantil no processo educacional. 

Vem aprender com a gente! 

O que significa qualidade de vida infantil? 

Num contexto geral, a qualidade de vida está diretamente relacionada ao bem-estar físico, psicológico, emocional, social e espiritual das pessoas através de condições favoráveis em vários aspectos da vida. 

Desde pequenos, os estudantes entram em contato com temas ligados à qualidade de vida, como os cuidados básicos com a higiene pessoal e outras tarefas diárias. Sem contar que práticas de lazer, culturais, segurança, ambientais, sociais e educacionais são alguns exemplos disso. 

Imagem: Freepik 

ausência de uma rotina equilibrada composta por demanda escolar, atividades físicas e uma alimentação saudável, pode prejudicar o desenvolvimento integral da criança. 

Sendo assim, a escola e a família devem promover a qualidade de vida infantil por meio de uma abordagem cotidiana e flexível. Neste conteúdo, vamos focar na contribuição que a escola pode fazer para o pleno desenvolvimento de um indivíduo, mais especificamente, na infância. 

Como a escola pode contribuir para a qualidade de vida das crianças? 

A formação de caráter de um aluno é feita em modo 360º, tanto para as competências acadêmicas quanto as habilidades que farão diferença para o projeto de vida de cada um. 

Vimos a importância de garantir a qualidade de vida infantil de modo geral. Agora, vamos conhecer as metodologias que a escola pode aplicar na educação infantil. 

1. Incentivar as relações sociais 

Promover a interação social entre crianças é de extrema importância. Isso porque, os alunos acabam trocando experiências e conhecimentos, por mais simples que possam parecer. 

No ambiente escolar, as habilidades socioemocionais devem ser trabalhadas de modo a apoiar o aluno a lidar com suas emoções e desenvolver o senso do coletivo no convívio com os demais colegas. De forma respeitosa e colaborativa, a socialização constrói aprendizagens significativas no ambiente escolar. 

2. Oferecer uma estrutura completa e multimodal 

Uma moderna estrutura é capaz de integrar diversos recursos para a aprendizagem plena. Os ambientes devem ser organizados de maneira que as crianças possam aprender, brincar e manifestar as mais variadas formas de expressão por meio de atividades. 

As habilidades cognitivas, culturais, afetivas e sociais são desenvolvidas também fora da sala de aula. Com um espaço amplo e bem estruturado, a qualidade de vida infantil se torna ainda mais presente através de áreas de interação ao ar livre, complexo esportivo, atividades tecnológicas e escola de idiomas. 

Além disso, é necessário assegurar um áreas criativas e confortáveis para engajar a interação dos alunos e motivá-los a criar novas ideias. Sair da caixinha mesmo.  

Sem falar na promoção de um excelente atendimento, manutenção periódica dos espaços, alimentação saudável e avisos de segurança pela escola, que contam muito para o bem-estar de todos. 

3. Conectar os alunos com o meio ambiente 

Quando a criança aprende desde cedo, que ela é parte da natureza e não proprietária dela, terá uma relação muito mais sustentável com o meio ambiente.  

Criar atividades que envolvem o contato com a natureza, geram inúmeros benefícios à saúde física, mental e emocional das crianças, de modo que elas entendem a responsabilidade que têm na preservação dos recursos naturais. 

Nessa fase educacional, os alunos já aprendem a entender mais sobre si e sobre o sentido de atenuar as emoções negativas – como estresse, ansiedade – que podem prejudicar a qualidade de vida infantil. 

Naturalmente, as crianças crescem com o senso de cuidado com os ciclos da natureza e com o próximo. 

4. Dar atenção à saúde mental das crianças 

Outro fator importante que faz parte da qualidade infantil é o cuidado com a saúde psíquica e socioemocional da criança. A escola deve se preocupar quando o aluno não rende mais como antes, demonstra desinteresse nas tarefas, apresenta dificuldades em questões orgânicas e falta de vontade de ir à escola.   

Ao perceber essas mudanças bruscas, torna-se extremamente necessário intervir através do diálogo com os pais e o acompanhamento médico para buscar a solução mais adequada para cada cenário. 

5. Reforçar o vínculo entre escola e a família 

Manter a parceria entre a instituição de ensino e as famílias, melhora diretamente a qualidade de vida infantil. A partir do momento que o diálogo é estreito, fica mais fácil acompanhar a evolução do aluno no ambiente escolar. 

Ambas as partes entendem os valores e as regras que são passadas aos pequenos. A participação dos familiares na rotina da escola através de encontros periódicos, eventos e campanhas, abre outros canais de comunicação e consequentemente, fortalece esse vínculo. 

O dia a dia escolar deve assegurar a saúde e qualidade de vida 

A combinação de atividades físicas e uma alimentação saudável beneficia (e muito) a qualidade de vida infantil. Na aula de Educação Física, por exemplo, o aluno aprende a conhecer o seu corpo e suas potencialidades nas atividades esportivas. 

Com isso, ele entende a real necessidade de se alimentar bem e de maneira saudável para ter mais energia e evitar doenças. Mas além desta esfera, a escola pode contribuir com o conjunto de atividades que beneficiam tanto a saúde física quanto mental do indivíduo com: 

  • Educação Nutricional 
  • Mindfulness (Atenção Plena) 
  • Educação Positiva 
  • Construção da cidadania 
  • Valorização das forças de caráter 
  • Excelência acadêmica. 

Optar pela garantia da qualidade de vida infantil é essencial para o desenvolvimento das crianças. Os efeitos impactam no desenvolvimento dos pequenos como indivíduos dentro e fora do ambiente escolar.  

Como o Ambiente Escolar pode influenciar no aprendizado

Oferecer uma infraestrutura adequada impacta diretamente no processo de ensino-aprendizagem no ambiente escolar

Além da qualidade de ensino, você já parou para pensar quais fatores são decisivos na hora de escolher uma escola infantil? Embora pareça irrelevante, a infraestrutura é capaz de tornar o ambiente escolar um lugar poderoso para o pleno aprendizado.

O espaço físico deve ser analisado minuciosamente, afinal, trata-se do local de convívio diário onde as crianças passam a maior parte do tempo. Por isso é fundamental considerar requisitos que vão além da estética.

Nesse conteúdo, iremos mostrar a importância do ambiente escolar no processo de aprendizagem dos pequenos. Vamos lá?

Como a infraestrutura influencia no ambiente escolar

É na educação infantil que a criança começa a desenvolver sua personalidade e capacidade de questionamento. E a escola passa a ter um papel essencial nesse processo.

Quando a criança tem acesso a um ambiente escolar bem planejado, organizado e conservado, ela é estimulada de forma positiva. Isso impacta diretamente no seu rendimento e desempenho.

O primeiro passo é criar um espaço agradável e funcional com itens básicos para o seu funcionamento da escola também, como: água, energia elétrica, manutenção e limpeza, sala de aula confortável com mobiliários adequados e de boa qualidade.

Além disso, as áreas internas de uma escola devem ser distribuídas em um ambiente social com apoio didático-pedagógico, como: brinquedoteca, parque infantil, quadra esportiva, área de lazer, biblioteca e recursos tecnológicos.

A comprovação de que uma estrutura adequada contribuir efetivamente no aprendizado

De acordo com o estudo realizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a performance dos alunos que estudam em ambientes com boa infraestrutura é superior ao dos que estudam em instituições que não possuem um ambiente escolar adequado.

A pesquisa, denominada “Infraestrutura Escolar e Aprendizagens da Educação Básica Latino-Americana”, mostra que os alunos poderiam subir as médicas de 506 pontos em provas de linguagens e 497 pontos em matemática para 525 e 524 pontos, respectivamente, caso tivessem condições melhores estruturais.

No Brasil, menos de um terço das instituições de ensino possuem salas com computadores aos alunos e menos de 10% das escolas oferecem laboratório de ciências.

Desse modo, compreendeu-se que a falta de estrutura pode comprometer o rendimento dos alunos. Isso vale tanto para os pequenos do ensino infantil, quanto aos jovens do ensino médio.

O ambiente escolar ideal existe?

Tomar a decisão por qual colégio matricular o filho, pode ser um desafio e tanto. Mas antes de qualquer coisa, é preciso conhecer a estrutura física e entender a metodologia de ensino adotada pela instituição.

Com os recursos necessários dispostos aos alunos é possível proporcionar uma adaptação mais agregadora no processo de aprendizagem. Porque é nesse período, que as crianças começam a desenvolver o seu convívio social.

Outro ponto importante é entender a política geral da instituição, focar em outros aspectos também. Exemplos disso são: a forma que o educador trabalha, como será a rotina da criança dentro da escola, o planejamento pedagógico e outros fatores pertinentes.

Investir em uma estrutura adequada na escola é incentivar o conhecimento. E as escolas que proporcionam isso, ganham o benefício de fazer com que a criança se sinta confiante e segura para aprender, criar, imaginar e se relacionar com as pessoas ao seu redor.

Conheça o Exclusive Space PEN Life: Um novo conceito de estrutura educacional!

Na PEN Life, o ambiente escolar é compreendido como uma possibilidade de educação dos sentidos e otimização do processo ensino-aprendizagem.

São mais de 30.000 m² de espaços projetados para promover uma rica diversidade de ambientes de aprendizagem e convivência. Neles, são disponibilizados:

  • Salas de aula Multimodais
  • Complexo esportivo
  • Complexo cultural
  • Teatro
  • Parques e espaços de interação ao ar livre
  • Bosques e fazenda orgânica.

Após a conclusão do período regular, os alunos podem ter a oportunidade de agregar outras atividades nas áreas acadêmica, esportiva, artística, cultural e tecnológica, no programa After School.

Proporcione o melhor para o seu filho em nosso ambiente escolar, projetado especialmente para o Ensino infantil, fundamental e médio.

Entre em contato com a nossa equipe e conheça mais nossa instituição!

Uso de Tecnologia por Crianças: Cuidados e Benefícios

Uso de Tecnologia por Crianças: Cuidados e Benefícios

Com o cuidado necessário, é possível aproveitar os mais diversos benefícios que o uso de tecnologia por crianças pode apresentar.

O uso de tecnologia por crianças e adolescentes é um grande desafio. As novas gerações já nascem habituadas a lidar com as ferramentas tecnológicas inseridas em praticamente todas as atividades que fazem parte do nosso dia a dia.

Por ter essa facilidade com a comunicação online, crianças e jovens consomem muito conteúdo digital por diversos meios seja por computador, celular, tablet e outras telas.

Mas além de servirem como canais informativos e de entretenimento, o uso da tecnologia na Educação Infantil é uma excelente alternativa de inovar na educação.

Entenda como as novas tecnologias podem ser peça-chave para o processo de aprendizagem atualmente. Vamos lá?

O cuidado necessário com o uso de tecnologia por crianças

Hoje em dia já se nasce imerso em uma sociedade cada vez mais dependente das novas tecnologias. Justamente por estar em todos os lugares, os recursos digitais chegam até às mãos das crianças.

Embora o uso descontrolado – tanto no ambiente escolar, como em casa – seja preocupante, proibir o acesso e interação online não é o mais indicado.

Precisamos ter em mente de que as relações pessoais, o convívio com os colegas de sala de aula e familiares são essenciais para o processo de aprendizagem.

Mas por outro lado, é fundamental encarar o fato de que a tecnologia é um revolucionário apoio pedagógico que possibilita expandir o conhecimento através do infinito universo das informações imediatas, desde que usada de forma correta.

O ideal é limitar o tempo de uso da tecnologia por crianças para que elas possam aproveitar ao máximo todas as possibilidades do novo mundo, que definitivamente é tecnológico e entender como o digital pode ser um excelente aliado nos estudos.

Desse modo, os pais encontram um equilíbrio entre o consumo virtual e hábitos saudáveis indispensáveis para o desenvolvimento das crianças, como a prática de atividade física por exemplo.

Benefícios do uso da tecnologia na educação

Mesmo que a criança não saiba ler ou escrever, as tecnologias digitais permitem uma nova forma de interação diante aos mais diversos recursos de ensino que podem ser utilizados dentro e fora da escola.

Aliado a educação, o uso de tecnologia por crianças possibilita o contato com novas linguagens, um maior acesso à informação e aproxima o conteúdo à proposta educacional.

Além desses benefícios muito interessantes, vejamos a seguir mais alguns exemplos de como uso da tecnologia por crianças pode ser positivo. Confira!

Desenvolve e enriquece o aprendizado

Nossas conexões são formadas a cada instante e o modo como o nosso cérebro se desenvolve na infância se estende para o resto da vida.

Essa construção constante pode ser estimulada por atividades interativas e jogos que promovem melhor percepção visual sobre a relação entre cores e tamanhos.

Ao ampliar a bagagem de conhecimento de modo intenso, a criança desenvolve uma mente mais aberta e capaz de aprender com mais compreensibilidade sobre diversos assuntos e diferentes formas, por meio de músicas, imagens e cores.

Inova as possibilidades de estudo

Com o acesso à internet é possível ter o mundo na palma da mão. O educador tem a oportunidade de apresentar uma infinidade de possibilidades para pesquisar e buscar qualquer questão em poucos minutos.

Embora algumas escolas ainda se mostrem resistentes à integração do universo digital na rotina, aquelas que adequaram suas ferramentas já sentem muita diferença no rendimento e desempenho dos alunos.

Estimula o raciocínio lógico e a concentração

Quem tem filho pequeno em casa sabe o quão desafiador é prender atenção. E em frente à uma tela colorida no celular ou tablet, com inúmeros itens se movimentando ao mesmo tempo, uma criança de dois anos de idade precisa se atentar para compreender o que é passado.

Isso ganha ainda mais força quando determinada atividade exige uma interação direta. Assim, a criança aprende a prestar atenção e ter foco.

Desenvolver a habilidade de concentração é muito importante para o aprendizado, independentemente da tecnologia, pois a criança já se familiariza com o conteúdo que possivelmente possa ser apresentado em aula.

O mesmo acontece com o raciocínio lógico, onde as crianças aprendem muito rápido como funciona os dispositivos eletrônicos e como resultado, o entendimento de suas próprias habilidades lógicas.

Possibilita que a criança produza conteúdo

Um benefício muito valorizado na educação é a possibilidade de o aluno produzir as tarefas e disponibilizar diretamente nas redes.

Com a supervisão e orientação correta de um adulto ou um educador, os alunos podem criar facilmente vídeos, textos, desenhos e até mesmo tabelas.

O uso da tecnologia por crianças desperta a criatividade, já que ela assume o lugar de protagonista em seu próprio aprendizado ao ser capaz de construir e alterar aquilo o que lhe é proposto.

Naturalmente, a criança se torna mais independente e fortalece o pensamento crítico.

Desperta interesse aos mais diversos conhecimentos

Oferecer conteúdo nos mais variados formatos e plataformas, só é possível encontrar na internet. Além de permitir que a criança aprenda sobre qualquer assunto, o universo digital desperta o interesse aos conhecimentos.

Dá para aproveitar bastante a curiosidade infantil com grandes aprendizados, mantendo o estímulo e orientação corretos para o uso de tecnologia por crianças.

Com isso, podemos entender que as ferramentas tecnológicas vieram para agregar na educação. É preciso aceitar as facilidades que temos em mão e lidar da melhor forma com os contras que existem em qualquer situação.

Uma criança que aprende e desenvolve essas habilidades, estará muito mais preparada para as mudanças do futuro.

Evolução da comunicação e das capacidades cognitivas

Por estarem em contato com a tecnologia em seu dia a dia, as crianças conseguem evoluir mais fácil a comunicação.

Sabe quando a criança começa a cantar uma música em inglês? Esse é um dos reflexos pode estar constantemente exposta a um vídeo, onde é incentivado – por meio da repetição -, o desenvolvimento da fala.

Outro benefício associado à capacidade comunicativa, é a melhora cognitiva da criança. Na qual se expande a habilidade de interpretar os estímulos do ambiente e incentiva a autonomia em tomar decisões, ainda que pequenas e simples.

E por fim, prepara para o futuro

Dominar a tecnologia é cada vez mais exigido no mercado de trabalho, visto que esse conhecimento não é considerado um diferencial, mas sim, uma exigência básica para qualquer cargo qualificado.

Ainda mais quando existe uma grande falta de mão de obra especializada para atender às novas necessidades das empresas.

É preciso ir além, se atualizar.

A presença tecnológica será ainda mais intensa daqui a 10 ou 20 anos, e quanto mais as crianças e jovens aprenderem a trabalhar com a tecnologia, maiores serão as chances de obter sucesso.

Você sabia?

O uso de tecnologia por crianças tem sido inadequado em alguns casos. Pensando nisso, a PEN Life desenvolveu o programa de Letramento Digital.

No vídeo a seguir, Dr. Ricardo Gaspar aborda a importância dos cuidados com o uso de telas e como o letramento digital visa proporcionar disciplina no acesso à internet. É bem rapidinho, olha só!

Dominar a tecnologia da informação e comunicação, bem com aprender as diversas linguagens de programação elevam a condição do indivíduo para plena apropriação dos recursos de desenvolvimento disponibilizados pela era digital, emancipando assim, nossos jovens para plena cidadania.

Como o Ambiente Escolar pode Influenciar no Aprendizado

Oferecer uma infraestrutura adequada impacta diretamente no processo de ensino-aprendizagem no ambiente escolar.

Além da qualidade de ensino, você já parou para pensar quais fatores são decisivos na hora de escolher uma escola infantil? Embora pareça irrelevante, a infraestrutura é capaz de tornar o ambiente escolar um lugar poderoso para o pleno aprendizado.

O espaço físico deve ser analisado minuciosamente, afinal, trata-se do local de convívio diário onde as crianças passam a maior parte do tempo. Por isso é fundamental considerar requisitos que vão além da estética.

Nesse conteúdo, iremos mostrar a importância do ambiente escolar no processo de aprendizagem dos pequenos. Vamos lá?

Como a infraestrutura influencia no ambiente escolar

É na educação infantil que a criança começa a desenvolver sua personalidade e capacidade de questionamento. E a escola passa a ter um papel essencial nesse processo.

Quando a criança tem acesso a um ambiente escolar bem planejado, organizado e conservado, ela é estimulada de forma positiva. Isso impacta diretamente no seu rendimento e desempenho.

O primeiro passo é criar um espaço agradável e funcional com itens básicos para o seu funcionamento da escola também, como: água, energia elétrica, manutenção e limpeza, sala de aula confortável com mobiliários adequados e de boa qualidade.

Além disso, as áreas internas de uma escola devem ser distribuídas em um ambiente social com apoio didático-pedagógico, como: brinquedoteca, parque infantil, quadra esportiva, área de lazer, biblioteca e recursos tecnológicos.

A comprovação de que uma estrutura adequada contribuir efetivamente no aprendizado

De acordo com o estudo realizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a performance dos alunos que estudam em ambientes com boa infraestrutura é superior ao dos que estudam em instituições que não possuem um ambiente escolar adequado.

A pesquisa, denominada “Infraestrutura Escolar e Aprendizagens da Educação Básica Latino-Americana”, mostra que os alunos poderiam subir as médicas de 506 pontos em provas de linguagens e 497 pontos em matemática para 525 e 524 pontos, respectivamente, caso tivessem condições melhores estruturais.

No Brasil, menos de um terço das instituições de ensino possuem salas com computadores aos alunos e menos de 10% das escolas oferecem laboratório de ciências.

Desse modo, compreendeu-se que a falta de estrutura pode comprometer o rendimento dos alunos. Isso vale tanto para os pequenos do ensino infantil, quanto aos jovens do ensino médio.

O ambiente escolar ideal existe?

Tomar a decisão por qual colégio matricular o filho, pode ser um desafio e tanto. Mas antes de qualquer coisa, é preciso conhecer a estrutura física e entender a metodologia de ensino adotada pela instituição.

Com os recursos necessários dispostos aos alunos é possível proporcionar uma adaptação mais agregadora no processo de aprendizagem. Porque é nesse período, que as crianças começam a desenvolver o seu convívio social.

Outro ponto importante é entender a política geral da instituição, focar em outros aspectos também. Exemplos disso são: a forma que o educador trabalha, como será a rotina da criança dentro da escola, o planejamento pedagógico e outros fatores pertinentes.

Investir em uma estrutura adequada na escola é incentivar o conhecimento. E as escolas que proporcionam isso, ganham o benefício de fazer com que a criança se sinta confiante e segura para aprender, criar, imaginar e se relacionar com as pessoas ao seu redor.

Conheça o Exclusive Space PEN Life: Um novo conceito de estrutura educacional!

Na PEN Life, o ambiente escolar é compreendido como uma possibilidade de educação dos sentidos e otimização do processo ensino-aprendizagem.

São mais de 30.000 m² de espaços projetados para promover uma rica diversidade de ambientes de aprendizagem e convivência. Neles, são disponibilizados:

  • Salas de aula Multimodais
  • Complexo esportivo
  • Complexo cultural
  • Teatro
  • Parques e espaços de interação ao ar livre
  • Bosques e fazenda orgânica.

Após a conclusão do período regular, os alunos podem ter a oportunidade de agregar outras atividades nas áreas acadêmica, esportiva, artística, cultural e tecnológica, no programa After School.

Proporcione o melhor para o seu filho em nosso ambiente escolar, projetado especialmente para o Ensino infantil, fundamental e médio.

Entre em contato com a nossa equipe e conheça mais nossa instituição!

Objetivos Fundamentais da Educação Infantil

Conheça os princípios que integram a Educação Infantil para a formação de excelência da criança.

A educação infantil possui grande importância no processo de formação da criança. Marca o início de uma jornada pautada em uma boa educação e construção de caráter.

Na educação infantil, o sentido criativo à aprendizagem é explorado por meio de uma rotina de atividades que estimulam o brincar, expressar, conhecer-se, participar e conviver em harmonia.

É nessa fase que crianças de 0 a 5 anos começam a desenvolver aspectos físico, psicológico, motor, social e emocional.

Mas você deve estar se perguntando quais são os reais objetivos da Educação Infantil para o desenvolvimento integral da criança. A gente vai te explicar tudo, acompanhe!

O que é Educação Infantil?

A educação infantil é a primeira etapa da educação básica. O principal objetivo é potencializar a capacidade intelectual, cognitiva e social das crianças de zero a três anos.

É na educação infantil que os alunos em idade pré-escolar entre quatro a seis anos de idade aprendem a trabalhar a autonomia para interagir, questionar, comunicar-se, resolver problemas e refletir.

O mais interessante de tudo isso é a chance do próprio indivíduo construir seu conhecimento através de um aprendizado natural das linguagens oral e escrita, em dinâmicas que proporcionam alegria e prazer.

Essa etapa educacional também é desenvolvida nas creches, com crianças de 0 a 3 anos e comumente, na pré-escola.

A matrícula na educação infantil é obrigatória para crianças a partir de quatro anos, – seja em instituições públicas ou particulares – após a última alteração da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), realizada em 2013.

O Processo de Ensino-aprendizagem na Educação infantil

As experiências de aprendizagem promovem a construção de significados sobre si, sobre os outros, sobre o mundo social e o natural, assegurando a estruturação do trabalho pedagógico em cinco campos de experiências:

  • O eu, o outro e o nós;
  • O corpo, gestos e movimentos;
  • Traços, sons, cores e formas;
  • Escuta, fala, pensamento e imaginação;
  • Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações.

Por meio de atividades recreativa e dirigida, é possível trabalhar  competências como: habilidades artísticas, corporais e artísticas; bem como o equilíbrio, a concentração, a atenção, a criatividade e autonomia.

Além disso, torna-se fundamental estimular a afetividade, consciência de preservação ambiental, empatia, ética, respeito e outros valores que integram uma cidadania justa e consciente.

Objetivos Fundamentais da Educação Infantil para a Formação da Criança

O aproveitamento das disciplinas aplicadas dentro e fora da sala de aula, precisa estar complementando a ação da família e da comunidade para que haja um progresso contínuo na vida da criança.

Confira a seguir os principais objetivos da Educação Infantil:

  • Utilizar as diferentes linguagens (corporal, musical, plástica, oral e escrita) ajustadas às diferentes intenções e situações de comunicação, de forma a compreender e ser compreendido, expressar suas ideias, sentimentos, necessidades e desejos e avançar no seu processo de construção de significados, enriquecendo cada vez mais sua capacidade expressiva;
  • Fortalecer a autoestima e ampliar as possibilidades de comunicação e interação social entre os vínculos afetivos com adultos e crianças;
  • Desenvolver uma imagem positiva de si, de forma mais independente e confiante em suas capacidades e limitações;
  • Estabelecer e ampliar cada vez mais as relações sociais, aprendendo aos poucos a articular seus interesses e pontos de vista com os demais, respeitando a diversidade e desenvolvendo atitudes de ajuda e colaboração;
  • Explorar sua curiosidade com o ambiente, percebendo-se cada vez mais como integrante, dependente e agente transformador do espaço e valorizando atitudes que contribuam para sua conservação.

Educação no Brasil

O sistema nacional de educação é fundamentado na Constituição Federal, sendo um direito de todos os indivíduos.

O Governo Federal, junto ao Ministério da Educação, empregam responsabilidades dos municípios, estados e o Distrito Federal em garantir o pleno desenvolvimento do indivíduo, prepará-lo para o exercício da cidadania e qualificá-lo para o mercado de trabalho.

Como indicador de performance, o Censo Escolar atua como um instrumento de informações da educação básica e o mais importante levantamento estatístico educacional brasileiro nessa área.

Dessa forma, o Censo abrange diferentes etapas e modalidades da educação básica e profissional: o ensino regular – educação infantil, ensino fundamental e médio – e vertentes de cursos técnicos, de formação inicial continuada ou qualificação profissional.

Mas Afinal, o que é um Projeto de Educação Infantil?

De modo geral, o projeto de educação infantil é um meio de estimular a participação ativa dos alunos no processo de aprendizagem.

A elaboração do documento pode ser feita em consenso com a coordenação, professores habilitados e outros educadores.

Definido o tema do projeto, é hora de especificar os objetivos de acordo com a faixa etária para cada turma de alunos.

É Preciso Alinhar-se às Diretrizes da BNCC!

A versão atual do documento conhecido como Base Nacional Comum Curricular (BNCC), traz algumas mudanças para a educação infantil.

Entre as quais, está o adiantamento da alfabetização e o alinhamento correto na produção dos materiais didáticos escolares com as atuais diretrizes.

Desta forma, garante-se uma formação acadêmica forte e sem lacunas, num movimento dinâmico, integrado e progressivo.

Portanto, fica compreendido que a educação infantil é um direito humano e social de todas as crianças de até seis anos de idade.

Sem qualquer tipo de preconceito ou distinção decorrente de características físicas, étnicas, origem geográfica, classe social e outros pontos que devem ser normalizados pela sociedade.

Só com a educação é possível mudar o mundo!