Entenda o conceito de Educação Positiva e saiba como aplicá-la em seu dia a dia.

Você já ouviu falar sobre educação positiva?

Educar os filhos pode ser um grande desafio para a família. Escolher a melhor forma de educá-los exige responsabilidade entre adotar uma postura mais rígida ou mais permissiva.

A proposta da educação positiva vai além do ambiente familiar, podendo ser aplicada efetivamente em salas de aula para uma aprendizagem plena por meio de métodos pedagógicos e psicológicos.

Além disso, a educação positiva busca o equilíbrio entre os extremos. Esse tipo de conceito estabelece limites firmes ao mesmo tempo que incentiva a liberdade e autonomia da criança.

Neste artigo, iremos abordar a importância da educação positiva na formação dos filhos e como aplicá-la no seu dia a dia. Confira!

O que é Educação Positiva?

Também chamada de disciplina positiva, a educação positiva apresenta uma concepção diferente da educação tradicional.

Seu principal objetivo é educar com foco na compreensão, no respeito e aprendizado para a formação integral do indivíduo.

Desse modo, a educação positiva entende que qualquer espécie de punição, chantagem emocional ou castigo impacta negativamente no desenvolvimento da criança.

Apoiada em evidências científicas, a educação positiva é uma poderosa ferramenta para promoção das competências socioemocionais descritas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Isso possibilita que cada aluno possa vivenciar uma história escolar que favoreça o reconhecimento e o fortalecimento de suas potencialidades, a formação acadêmica sólida e a consolidação de valores humanos básicos que contribuam com sua realização pessoal.

Além da construção de relações interpessoais saudáveis e com a consciência de uma atuação social transformadora.

Mas afinal, como aplicar a Educação Positiva?

Agora que já entendemos os valores da educação positiva, iremos mostrar abaixo as maneiras mais eficazes de aplicar este conceito na prática. Veja!

Ajude seu filho a pensar

É importante estimular a criança a pensar em suas próprias atitudes, em situações cotidianas e questões que os façam refletir.

Incentivá-los a participar da resolução de problemas presentes no dia a dia, favorece a construção de autonomia e independência.

Um exemplo claro disso é encorajar seu filho a se comunicar e expressar verbalmente suas emoções.

Desperte o interesse em levantar questões sobre a possibilidade em negociar vontades e desejos. Mostre a importância da escolha e suas consequências, sempre de maneira positiva.

Mantenha sempre o diálogo

O diálogo é um dos pilares da educação positiva. Faça que com haja interação e troca mútua entre todos, seja no ciclo escolar, familiar ou social.

Por isso, é fundamental conversar, explicar e escutar. Isso porque, quando a criança é ouvida, ela entende a importância de sua participação dentro daquele contexto.

Assim, é possível fortalecer ainda mais a conexão e vínculos familiares através do alicerce de qualquer relação humana: o respeito.

Mostre seus valores

As crianças reproduzem atitudes e comportamentos dos adultos. Seja o exemplo positivo.

Levante a discussão sobre as consequências de uma mentira, chantagem e subornos. Evidencie o valor em cumprir o que diz, sem qualquer tipo de interesse envolvido.

Empregue a honestidade nas ações e palavras, pois é por meio do exemplo da família que os filhos aprendem.

Como já mencionado acima, a chantagem e o suborno devem ser considerados atos inaceitáveis, principalmente quando os pais tentam negociar certo comportamentos em troca de presentes, por exemplo.

Vale lembrar que, o bom comportamento não deve ser gratificado, já que a criança pode não compreender o real sentido de uma boa conduta sem algum tipo de recompensa.

Constitua princípios

Diferentemente do que muitos imaginam, limites e regras integram o conceito da educação positiva. Através deles, torna-se possível trabalhar o significado de resiliência e a capacidade em solucionar problemas.

A grande maioria dos pais temem pela fase dos choros, birras e insistência dos filhos. Mas, esses exemplos claros de desobediência acontecem quando não há clareza nos princípios e acordos estabelecidos.

É preciso ensiná-los a reagir de modo positivo em situações diversas, a integrar noções de responsabilidade e sobretudo, superar frustrações de modo confiante.

Para aplicar a educação positiva de maneira colaborativa, é necessário manter-se firme para que seu filho entenda que recorrer a choros e birras não influenciará na decisão final para conseguir algo.

Repreenda atitudes inadequadas

A premissa da repreensão é o ensinamento. Portanto, explique as consequências de atitudes ou comportamentos negativos com o outro.

Lembre-se: as ações devem ser criticadas, não a criança. Evite direcionar a julgamentos do tipo “você é um menino mau”. Faça com que a criança entenda as consequência do seu ato e o mostre como corrigir o erro.

Assim, os pequenos desenvolvem o sentimento de empatia e respeito com todos a sua volta.

Castigos ou punições geram estresse e prejudicam diretamente em habilidades como a criatividade, por exemplo.

“Erros são ótimas oportunidades de aprendizagem”. Mostre que as falhas também são importantes oportunidades de aprendizado e melhora para comportamentos e hábitos desajustados.

Reforce o lado positivo em todas as circunstâncias

Elogie o esforço do seu filho em suas atividades e pelo seu bom comportamento.

O reconhecimento nada mais é do que um meio motivacional para que a criança continue se dedicando a buscar o seu melhor com otimismo e autoconfiança que irão fazer parte da vida de um adulto “bem-sucedido”.

O sucesso de que estamos falando é a construção de cidadãos felizes, em relacionamentos saudáveis e ainda, atuantes para o bem de sua comunidade.